quinta-feira, 11 de setembro de 2008

09:22



É evidente que não existe uma receita de bolo para fazer com que seu currículo seja aceito numa empresa, mas existem algumas erros que precisam ser observados para evitar que ele vá parar no lixo.


1. Muito cuidado com os erros de ortografia e digitação

Independente do cargo almejado, o cuidado com as regras básicas do idioma, acentuação e concordância deve ser seguido. Em alguns processos seletivos, o candidato pode ser eliminado antes mesmo de ter a oportunidade de justificar o erro, ou até mesmo, de ser entrevistado. Os especialistas recomendam revisar todo o documento antes de enviá-lo. Uma boa dica, é consultar o iG Educação, que já tem disponível todas as mudanças nas regras da Língua Portuguesa.

2. Caso você não domine o idioma, melhor não arriscar e pedir ajuda a alguém com mais conhecimento. As mesmas regras valem para quem está fazendo um currículo em outro idioma. Nada de dar um "control+c" no Tradutor do Google e colar diretamente no currículo.


3. Mentira tem pernas curtas

Nada de inventar "mentirinhas". Além de ser antiético, pode deixar você em uma situação bastante desconfortável, caso o entrevistador peça para que você faça um teste prático. Além disso, mesmo que você consiga o emprego, mais cedo ou mais tarde você será desafiado a cumprir o que está no currículo, e aí não vai haver justificativa. O ideal é descrever com exatidão seus pontos fortes, sem porém, "exagerar nas tintas".


4. O currículo não é o livro da sua vida

Segundo os especialistas, dois minutos é o tempo máximo que você tem para se apresentar ao selecionador. Portanto, esqueça os currículos com várias páginas e cheio de informações, mesmo que você tenha experiência e comprove tudo o que escreveu. O ideal é ter, no máximo, duas folhas e somente citar informações relevantes ao cargo que você deseja. Portanto, se você fez um curso de pesca submarina, não precisa dizer isso se estiver em busca de uma vaga de atendente. Lembre-se, o importante é qualidade, e não quantidade.


5. Nem tanto, nem tão pouco

Não precisa economizar quando precisar fornecer as informações necessárias para que o selecionador o conheça melhor. Informações como: datas de formação, entrada e saída das empresas anteriores, período de cursos, locais de formação e descrição de atividades desempenhadas, são absolutamente importantes no processo de seleção. Dá para ser objetivo, sem ser superficial.


6. Cuidado com o objetivo

Antes de tudo, você precisa apontar seus objetivos profissionais. Segundo os especialistas, é pelo objetivo que os selecionadores costumam iniciar a leitura de um currículo. É também através dele, que eles definem se continuam lendo, ou joga no lixo. Portanto, esse ponto é muito importante. Procure ser claro e convincente. Afinal de contas, é preciso saber realmente o que você quer. Apontar objetivos distintos pode demonstrar imaturidade e falta de foco.


7. Documentos pessoais são desnecessários

Lembra daqueles currículos que eram vendidos nas bancas de revista, que vinham com vários espaços em branco onde você precisava preencher até o número do CPF, RG, carteira de reservista? Esqueça! Este tipo de informação é absolutamente irrelevante no processo de seleção. Outra informação que deve ser evitada é a pretensão salarial. Na realidade, por ser um assunto confidencial, ela só deve ser usada caso a empresa exija.


8. Esqueça as fotos

As empresas são legalmente proibidas de solicitar fotos. Trata-se de um ato discriminatório, porque o que está em avaliação é sua competência profissional e não a aparência. No entanto, se você está disposto a colocar sua foto, uma dose de bom senso vai bem. Tente usar fotos mais formais e que não comprometam sua entrevista.


9. Cuidado com a estética

Enfeitar o currículo é uma faca de dois gumes. O ideal é avaliar o perfil da empresa que você está tentando uma oportunidade e montar seu currículo de acordo com ele. Os especialistas lembram que o formato tradicional, com folhas brancas e letras tradicionais, como Times New Roman e Arial é o mais garantido. Entretanto, se a organização permite que você utilize um formato, digamos, mais moderninho isso pode diferenciar você no processo de seleção. Cuidado e bom senso é fundamental.


10. Um currículo para cada empresa

Os especialistas afirmam que um currículo com texto adequado ao perfil da empresa chamam mais atenção dos selecionadores. Procure aprender um pouco mais sobre a atividade da empresa e monte um currículo ressaltando suas características profissionais, relacionando com o perfil da empresa, mas nada de inventar.


11. Esqueça os documentos anexos

Anexar seus certificados e diplomas não atestam, pelo menos nesse momento, sua capacidade profissional. Deixe-os guardados em casa, para utilizá-los quando forem solicitado. Os especialistas também afirmam que não é necessário assinar o currículo.

0 comentários: