quinta-feira, 23 de julho de 2009

08:05
1


Graças a nanotecnologia, a eletrônica e a informática vem evoluindo bastante nos últimos anos. Graças a ela foi possível criar processadores cada vez menores e mais eficientes, chipsets, memórias, etc.. Se não fosse por ela a Informática não seria a mesma, porém um problema ainda não tinha sido resolvido. A dependência de energia.

Ninguém nunca havia conseguido construir uma memória RAM que conseguisse armazenar dados sem energia elétrica, nem que seja por um milionésimo de segundo. Já os discos rígidos não sofrem com a perda de dados por falta de eletricidade, pois usam o magnetismo para driblar essa limitação, porém eles sofrem com a baixa velocidade na troca de dados.

Sempre que ligamos o computador, o sistema operacional é enviado do HD para a memória RAM, que por sua vez é acessada pelo processador. Se o processador tivesse que buscar os dados diretamente no HD o tempo de espera seria bem maior devido a baixa velocidade. Essa limitação nos discos rígidos sempre foi um “gargalo” para a Informática, que sempre esbarrou no problema.

17 Memristores bem de pertoRecentemente a HP anunciou um novo componente, o Memristor. Componente que já existia no papel desde 1971, teorizado por Leon Chua. Veja na foto ao lado como o Memristor se parece. Estranho, não é? Lembre que é impossível vê-lo a olho nu, pois ele é incrivelmente pequeno, cerca de 50 nm e pouco menos de 200 átomos. Para se ter idéia do tamanho dele, comparar um Memristor a um capacitor seria como comparar um barco à Lua.

O Memristor promete muito, por ter tamanho extremamente pequeno a tendência é que aos poucos os fabricantes adotem esta tecnologia em suas peças devido a velocidade incrivelmente maior e independência de energia elétrica. Provavelmente o futuro do armazenamento será os memristores, pois eles tem uma capacidade de armazenamento incrivelmente maior que os HDs e os SSDs. Apenas 1cm² é suficiente para armazenar 125MB, ou seja, no mesmo espaço de um SSD será possível armazenar 1,5TB.

No caso das memórias RAM imagine: “por acaso acaba a energia elétrica em sua casa e você não salvou nada do que estava aberto. Mas aí você lembra que seu computador já é dotado de memristores, os quais salvaram o estado do computador antes de tudo desligar e claro, eles não perderam as informações que estavam em sua tela. Fantástico, não?”

Para os gamers de plantão, fabricantes como Sony, Nintendo e Microsoft poderiam usar os Memristores para substituir as memórias dos consoles, podendo assim acabar de vez com os “loadings” entre as fases daquele seu jogo favorito.

Como podemos ver essa nova tecnologia só promete melhorias para o mundo da informática e da eletrônica, pois as aplicações não se limitam apenas a informática. A HP já anunciou que tem vários protótipos em fase de testes para que a tecnologia seja cada vez mais aperfeiçoada. Espera-se que os primeiros produtos que usem essa tecnologia sejam comercializados por volta de 2015.

1 comentários:

Danilo Augusto disse...

Opaa...

Amigo, sou Danilo Augusto autor e do I/O Tecnologia. Peço a você que poste ao menos a fonte ( nosso blog ) de onde foi retirado o post.
Desde já agradeço sua atenção e a leitura do nosso blog. Abraços.
Link original:http://www.iotecnologia.com.br/memristor/