terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

04:38


O Flyfire visa ser um passo para a "poeira inteligente", a idéia de que a computação seja cada vez menor, endereçável, universal e persuasiva.

O projeto foi concebido para se tornar uma instalação em espaço público onde os "pixels" se recarregam em intervalos de poucos minutos e depois voltam a fazer suas performances aéreas.

É como disse uma colaboradora do Brasil Acadêmico, as queimas de fogos em Copacabana ficarão bem mais fáceis.

Talvez seja mesmo um vislumbre de um tempo de fogos menos poluentes e com reaproveitamento de materiais. Imagine as Olimpíadas no Brasil com esse tipo de efeito especial na abertura e/ou no encerramento.

Contudo, é bom que se diga, a ideia da "poeira inteligente" vai bem além de pirotecnias e suas aplicações são virtualmente infinitas.

Leia mais: Rumo à poeira inteligente: FlyFire http://blog.brasilacademico.com/2010/02/rumo-poeira-inteligente-flyfire.html#ixzz0gMVrtZXa

0 comentários: