quarta-feira, 28 de julho de 2010

06:55
7
,












Desde o início de 2010, os aparelhos eletrônicos brasileiros receberam uma nova padronização para plugues e tomadas, que trarão três pinos redondos, de acordo com a foto acima. No entanto, onde, como, quando e porquê surgiu tal mudança? Vamos analisar agora os motivos e consequências do novo padrão de tomadas.

Quando se definiu esta mudança?

Ela surgiu em 2000, quando a padronização tornou-se obrigatória por meio de uma portaria do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro). Naquele ano foram estabelecidos diferentes prazos para que os vários segmentos da indústria adotem as novas regras a partir de janeiro de 2010, com todo o processo de conversão concluído, inclusive por parte do comércio, a partir de julho de 2011, quando os aparelhos elétricos e eletrônicos à venda terão que estar adaptados.

O quê muda?

A nova regra estabelece que os plugues sejam padronizados em dois modelos: pino redondo com 2 terminais e pino redondo com 3 terminais, sendo 1 terminal terra. O encaixe do plugue deverá ter o formato hexagonal e as tomadas onde o encaixe será feito terão um baixo relevo de 8 a 12 milímetros de profundidade, criando uma espécie de buraco onde o plugue ficará acomodado, evitando folgas e exposição dos terminais metálicos e consequentemente diminuindo riscos de choques elétricos – uma das principais preocupações que supostamente motivaram a criação do novo formato.

Quais são os principais problemas do novo padrão?

O principal deles, obviamente, é que muitos dos apartamentos e residências existentes não possuem tomadas prontas para o novo padrão, sendo necessária a compra de adaptadores para todos os aparelhos eletro-eletrônicos. Imagine você desinstalar seu PC ou sua TV de alta definição novinha, ver o padrão novo e não poder instalá-lo?
A alegação do Inmetro é que o Brasil conta com oito tipos diferentes de plugues e doze variações de tomadas, um número que gera alto risco de choques. Mesmo assim, não sabemos de casos de pessoas que tenham sido fortemente eletrocutadas por causa disso. O maior problema é que este novo padrão vai dar dor de cabeça para muita gente, já que apenas o Brasil adotou este modelo. Assim, aparelhos importados terão que utilizar um adaptador para funcionar, bem como aparelhos nacionais em tomadas antigas.

Quais são as alternativas?

A mais óbvia é buscar um adaptador. Já é possível encontrar adaptadores do novo padrão, mas ainda assim com certa dificuldade. Outra alternativa é cortar o fio terra (o pino central do plugue) com um alicate e utilizar em alguma tomada antiga. Os perigos, caso você corte o fio terra, são que o risco de choque e o consumo de energia aumentam.

7 comentários:

E PRA LÁ QUE EU VOU disse...

eu prefiro as tomadas tradicionais se voce usar corretamente nao corre risco de choque eletrico.

Lucas Aguilar disse...

Tambem prefiro as tradicionais
se o mundo inteiro usa pra que ficar inventando moda¬¬
só o Brasil mesmo pra fazer esse tipo de cagada -_-'

Marcelo disse...

Segundo uma matéria da revista Veja do primeiro semestre desse ano, as tomadas silentoque shucko (padrão usado na Europa) correspondem a 40% dos tipos existentes no mundo.
O padrão 2p + T, ironicamente chamado pelos Norte Americanos de padrão universal, correspodem apenas a 20% do total.
A tomada Européia é a mais apropriada para nosso mercado na minha opinião, pois estabelece uma conexão sem folgas, evitando superaquecimentos, além de serem robustas e seguras com suas peças metálicas fora do alcance do usuário.
Não entrendo o motivo de se criar mais um modelo, num mercado que busca cada vez mais na padronização, o aumento na segurança e a redução de custos de fabricação.
Marcelo Gonçalves

Paulo Henrique disse...

Senhores, falando como cosumidor e profissional da àrea elétrica, digo que é mais uma das burriçes que esses "sem o que fazer" ou "os que querem dinheiro mais fácil" fizeram. Falo mais como PROFISIONAL; os bornes são de má qualidade, ofere maiores riscos de curto devido os espaços de isolamento serem ridículos ou seja, os cabos ficam muito próximos, não suportam apertos necessários para conecção, ocupam mais espaços com relação à profundidade, se o instalador precisar conectar duas seções diferentes tipo, "1,5mm e 2,mm", o profissional terá que fazer emendas.
Senhores, este relato foi feito com um dos melhores fabricantes que é o PIAL LEGRAND, linha PLUS.
Eu me aterrorizo em pensar nas outras marcas SIMILARES ou seja, PEBA mas barata.
Como sempre...O Brasil com grandes profissionais e bons engenheiros, simplesmente pega um merda qualquer para desenvolver um padrão RIDÍCULO desses, é lamentável.

rogerioprof disse...

Ninguem se "liga" que adotar um padrão que não se usa em nenhum lugar no mundo é só para enrriquecer mais meia dúzia de empresários? se utilizassem inteligência, poderiam colocar os padões de segurança no nosso proprio sistema.
Maldita vergonha monetarista!!!
Temos que mudar!!!
http://movimentozeitgeist.com.br/

Luciano Lima disse...

Eu como profissional da área também estou indgnado. Como podem fazer algo difrente de qualquer padrão internacional? A resposta é simples: tem gente ganhando muito com isso. Até quando vamos deixar que façam isso conosco?

Anônimo disse...

padrao aonde? foi inventado aonde? foi patenteado aonde? quem ganha fortunas com isto? é mais um lixo para enriquecer uns poucos! igual ao que ja foi a tomada padrao telemar no passado - apenas para tornar complicado para o consumidor - pior ainda sao os produtos a venda - tentei a pial fortbela 2 tomadas e simplesmente nao prende os fios com seguranca - mesmo com o parafuso bem apertado nao segura direito os fios - eles soltam se puxar