terça-feira, 23 de agosto de 2011

08:53


Aidan Dwyer, um garoto apenas 13 anos descobriu uma maneira surpreendente de aumentar a eficácia das tradicionais células solares em até 50%, depois de uma caminhada por uma floresta perto de sua casa.

O jovem gênio ficou intrigado ao perceber que todas as folhas das árvores tinham orientação e ângulos semelhantes entre si e imaginou que isso estaria relacionado ao melhor aproveitamento dos raios solares.

Curioso em descobrir por esse tipo de seqüência que se repetia, o jovem começou a fazer cálculos e o resultado não foi outro senão a seqüência de Fibonacci, uma série de números descritos no século XIII matemático italiano Leonardo Pisano, usado para descrever padrões de muitos elementos da natureza.

Então Aidan fez uma experiência. Usando o mesmo número de células solares, ele construiu dois modelos. Um deles disposto da maneira tradicional e o outro imitando a maneira das “árvores” usando a seqüência de Fibonacci em um padrão em espiral. vejam os resultados:

O projeto “árvore” obteve um aproveitamento médio 20% acima do tradicional, mas os resultados mais interessantes foram observados em dezembro, quando o Sol estava no seu ponto mais baixo no céu e o aproveitamento energético foi 50% mais eficiente, além de coletar a luz solar por um período de tempo maior durante o dia.

A descoberta de Aidan lhe rendeu o prêmio de jovem naturalista do Museu Americano de História Natural, ele também pretende patetear sua descoberta. No final da historia todas as empresas que investem milhões de dólares em pesquisas e os renomados cientistas que passam anos estudando como tornar a energia solar mais eficiente, foram passados para trás por um garoto de 13 anos!

Fonte: Rotina Digital

0 comentários: