sexta-feira, 14 de outubro de 2011

09:59

Computador neuromórfico

O professor Robinson Pino e seus colegas da Universidade de Boise, nos Estados Unidos, deram um passo importante na construção do seu apregoado computador neuromórfico.


O circuito foi construído commemristores, componentes eletrônicos capazes de se "lembrar" das correntes elétricas que passaram por eles, o que faz com que sejam chamados de 



sinapses artificiais

Os cientistas acreditam que essas sinapses artificiais poderão ser usadas para construir computadores cujo funcionamento se assemelhe ao funcionamento do cérebro humano.
Sinapses artificiais.


O grupo do professor Pino construiu um processador neuromórfico que é basicamente uma rede neural formada por 100 memristores, ou 100 sinapses artificiais.


Os memristores foram construídos pela própria equipe, à base de calcogeneto, contendo Ge2Se3, e prata, uma inovação nessa área ainda nascente.


Os resultados demonstram que a rede neural de memristores pode ser programada para cada estado memristivo individual - eles programaram três estados diferentes de cada sinapse artificial.


Embora ainda esteja em seus estágios iniciais de desenvolvimento, essa capacidade de programação em multi-estados é altamente promissora, apontando para uma abordagem potencialmenet muito mais eficiente do que, por exemplo, os primeiros processadores cognitivos da IBM, apresentados há pouco mais de um mês.



Fonte: Jungabeen

0 comentários: