sexta-feira, 22 de novembro de 2013

03:04
Desde 2012, um novo sistema de emissão de vistos para os Estados Unidos, entrou em vigor, com a expectativa de tornar o processo mais rápido e menos custoso, e com mais centrais de atendimento, embora tenha feito com que as pessoas que mora fora das capitais e agora tenham que viajar duas vezes para conseguir ter seu visto americano, uma para ir ao CASV (para tirar a foto e levar alguns documentos) e outra para a entrevista no consulado.

No primeiro dia de agendamento, no CASV (Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto) o atendimento é relativamente rápido, desde que você leve todos os documentos corretamente preenchidos. Você precisa levar o passaporte e a ficha do formulário DS-160 impressa. Lá eles vão colher suas impressões digitais e tirar a foto. É permitido levar celulares e chaves para o CASV, mas os aparelhos precisam estar desligados.

Já o segundo dia, que é a entrevista propriamente dita, a coisa é diferente. O processo agora é mais rápido do que antigamente, mas ainda se perde algumas horas no consulado. E aí valem as dicas abaixo para evitar que você se estresse ou perca a viagem.

O que levar e como se portar no dia da entrevista?

No dia da entrevista procure chegar uns 20 minutos antes do horário agendado. Afinal imprevistos acontecem, e em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, não dá para prever o trânsito. Mas também adianta chegar com 1 hora de antecedência porque eles não deixam entrar e você terá que ficar esperando na porta.

Quando você chegar, já pergunte para alguém do Consulado entrevistas de qual horário eles estão chamando para entrar. Normalmente no portão eles colocam uma placa com esta informação.

Para evitar stress e gastos desnecessários com aluguel de armários a preços extorsivos no comércio local, lembre-se de que é expressamente proibido entrar com qualquer equipamento eletrônico, como celular, carregador, fone de ouvido, IPod, Ipad, etc. E nem precisa dizer que não vão te deixar entrar com nada perfurante como tesourinhas e alicates.

Leve apenas os documentos comprobatórios de renda e de viagem e uma caneta. Entre os documentos, não esqueça de levar:
passagem de ida e principalmente de volta, caso já tenha comprado;
Comprovante da reserva de hotel, caso for ficar em um, se for ficar na casa de alguém, peça para a pessoa escrever uma carta-convite falando que irá te receber do dia tal ao dia tal;
Se você trabalha, leve seus três últimos holerites e, até mesmo, o crachá de sua empresa. Um atestado de que o período da viagem corresponde a suas férias também pode ser obtido no RH de onde trabalha;
Se você não trabalha como CLT, leve sua declaração do imposto de renda com o recibo; Quem trabalha também pode levar para ajudar na análise;
Leve o seu extrato bancário dos últimos três meses;
Se estiver viajando para estudar, não esqueça de levar a carta da escola;
Se você estuda, leve comprovante de matricula ou pagamento de mensalidade;
Passaporte antigo, com vistos para o EUA ou outros paises, caso tenha.

O importante é que você leve provas de que está indo viajar e que pretende voltar para Brasil, que tem fortes laços com o país.

Não é incomum você ser chamado para a entrevista, levar vários documentos e na hora H eles nem analisarem nada. Principalmente se você já viajou para outros países.

Na hora H não queira ser pró-ativo. Só fale o que lhe for perguntado. Só mostre o que lhe for pedido. Demonstre confiança e caso tenha o seu visto negado, não se estresse ou exalte. O risco de você ficar marcado como uma persona non-grata é grande. E lembre-se, no consulado você deve obedecer as leis americanas, então você pode ser deus no Brasil, lá você não é nada.

Provalmente, ele vai querer saber o motivo da viagem e o que você faz no Brasil. Também questionará quais cidades você irá visitar, quando será sua viagem e quanto tempo você ficará por lá. Talvez pergunte se você conhece alguém que mora lá e poderão, inclusive, pedir detalhes do dia a dia do seu emprego.

Outra dica valiosa, é seja antipático. Não fique conversando com pessoas enquanto espera. Há relatos não comprovados de que existem pessoas a paisana na fila pronta para ouvir qualquer segredo do tipo, “estou indo para trabalhar”, “estou indo para não voltar” e coisas do tipo
Fonte: Trilhando o Mundo



Fonte






0 comentários: