terça-feira, 22 de abril de 2014

08:59


O roteador wireless é, sem dúvida, o meio mais popular de distribuir Internet em curtas distâncias. Aqui em casa eu uso o D-Link DI-524 (imagem à esquerda), não por ele ser o melhor, pois há no mercado roteadores muito melhores, e sim por ele ter sido oferecido gratuitamente pela minha operadora de banda larga NET. Depois de configurado, é um aparelho que não precisa de manutenção. Entretanto, na hora de comprar ou trocar o roteador Wi-Fi, é preciso atenção em alguns aspectos como: intensidade do sinal, padrão utilizado e outros. Para não comprar um roteador novo e ficar na mão no quesito desempenho, confira as dicas.


Padrão a ser utilizado: “B”, “G”, “N” ou “AC”

As redes sem fio de curta distância possuem vários padrões operando na frequência de 2.4 Ghz e 5 Ghz. Os mais comuns são IEEE 802.11 b ou g. O padrão 802.11 b oferece velocidade de até 11Mbps, enquanto o padrão 802.11g pode chegar até 54Mbps. Na prática, as velocidades de taxa de transferência ficarão entre 3Mb/s e 6,7Mb/s, com desempenho variando muito pouco de roteador para roteador.

Atualmente, os roteadores utilizam esses padrões mais conhecidos ao mesmo tempo. Será comum você encontrar na configuração dos roteadores uma opção como 11b/g mixed. Com isso, o roteador fornecerá rede e Internet para praticamente qualquer tipo de aparelho que possua conexão Wi-Fi, seja ele smartphone, tablet, notebooks e etc.


Roteador Wireless com padrão 802.11b/g

Apesar das velocidades do padrão 802.11 b/g parecerem baixas, elas fornecem o suficiente em largura de banda e velocidade para Internet de até 10 Mbps. Para quem deseja velocidades superiores. o padrão “N” poderá ser a solução. O padrão 802.11n oferece velocidades de até 450 Mbps.

Contudo é preciso estar atento ao roteador que você irá comprar, pois os modelos mais baratos, oferecem “apenas” 150 Mbps. Além disso, alguns aparelhos como celulares e tablets não possuem suporte ao padrão “N”, o motivo é simples, eles não precisam de tanta velocidade assim.


Roteador no padrão 802.11ac tem preço elevado

Vale lembrar que há ainda o padrão 802.11 ac. Embora esse novo padrão forneça velocidades superiores a 1Gbps, tais velocidades não são essenciais para uso doméstico. Para usuários doméstico, o padrão “N” fornece banda de sobra para quem possui Internet de até 100Mbps. Roteadores que operam no padrão “AC” são mais indicados para quem realmente precisa de taxas de transferência muito alta.


 Windows ou Mac
Alguns usuários ficam com dúvida em relação ao sistema operacional a ser utilizado com o roteador. Se haverá incompatibilidade ao usar um roteador normal com um iMac ou se um notebook com Windows pode se comunicar com o roteador da Apple Airport. Felizmente os padrões de conexão de rede são criados para essa função.


Roteador Airport Express, da Apple, pode ser usado em computadores com Windows

Tanto roteadores comuns como os Airports da Apple trabalham sobre padrões conhecidos o que garante não haver problemas de comunicação. Entretanto, os roteadores da Apple possuem configurações especiais que permitem que eles se comuniquem com mais facilidade aos produtos da Apple como Macbooks, iPhones, iPads e etc.


Antenas e a Intensidade do sinal


Outra pequena confusão que alguns usuários fazem, é relacionar o número de antenas expostas com o alcance do roteador. Embora o número de antenas realmente esteja relacionado a intensidade e velocidade, muitos roteadores modernos possuem antenas internas.

De fato, alguns dos melhores roteadores no padrão “N” e “AC”, os mais velozes, não possuem antenas externas, mas contam com várias antenas internas.
Outra vantagem dos padrões “N” e “AC” está na intensidade do sinal. Sendo muito mais abrangentes, tanto dentro de residências como fora delas.

Caso esteja enfrentando problemas como perda de sinal, a troca por um roteador de um padrão novo ou com mais antenas, poderá solucionar esse gargalo, aumentando a amplitude do sinal dentro da sua casa ou escritório. É importante notar onde o roteador ficará posicionado, para uma melhor distribuição, ele deve ficar em um local central e se possível seja alto.


Custo x benefício

Não é preciso gastar muito dinheiro para ter uma rede Wi-Fi de qualidade. Em pequenas residências e apartamentos, roteadores baratos, ainda no padrão “b/g” darão muito bem conta do recado. E com o passar dos anos, roteadores no padrão “N” tem ficado cada vez mais baratos, podendo serem encontrado por volta de R$ 150 reais.


R6300 é a opção da NETGEAR no Brasil

Desse modo, para uso doméstico, um roteador no padrão “AC” como o R6300 é algo desnecessário. Esse tipo de roteador tem preço elevado, na faixa de R$ 900 reais e não haverá ganho de performance se sua internet tiver velocidade inferior a 100 Mbps e a rede Wireless for usada apenas para distribuição da mesma.

Fonte: O Blog do seu PC

0 comentários: