quarta-feira, 6 de abril de 2011

09:32












Por mais que cada vez mais usuários saibam utilizar computadores, ainda hoje existe certa mistificação ou, pelo menos, falta de informação em diversos aspectos.

Principalmente quando o assunto é internet, enganos não faltam – seja o desespero e medo de perigos inexistentes ou errôneos de alguns, ou a falta de preocupação e ingenuidade de outros. O e-mail, que já parte do cotidiano dos internautas, é um dos que mais geram confusões. Chegou a hora de resolver de uma vez por todas as lendas e mostrar que não existe nenhum bicho-de-sete-cabeças nas mensagens eletrônicas.

1- “Tem um vírus no meu e-mail!”

Não importa o que digam, não importa se um técnico falou, não importa se seu amigo tem certeza que é esse o problema – acredite, e-mails não pegam vírus. Falar que um e-mail pegou vírus é o mesmo que falar que seu endereço pegou fogo, quando o incêndio é na sua casa.

Geralmente, os sintomas que acabam sendo chamados de “vírus no e-mail” realmente são relacionados a vírus ou outros programas mal-intencionados, mas na própria conta de e-mail é simplesmente impossível haver qualquer problema. Assim, suspeite quando ouvir algo do gênero. No geral, a explicação deve cair dentro de uma das seguintes categorias:

I- Vírus no computador: Um computador com vírus, dependendo do caso, pode levar a efeitos de mal-funcionamento do e-mail ou ainda o envio de mensagens infectadas, à revelia do dono do mesmo. Isso vale também para o caso de e-mails abertos em computadores diferentes – digamos, seu computador em casa pode estar livre de vírus, mas o de seu trabalho pode estar infectado e enviar mensagens pelo seu endereço, uma vez que você logou com ele. Por isso, certifique-se de limpar sua máquina caso algo estranho esteja acontecendo, assim como outros lugares que possa ter logado.

II- Roubo de senha: Às vezes, caso sua senha tenha sido descoberta por outro usuário ou por algum tipo de bot (programa “robô” criado para disseminação de vírus, roubo de informações etc.), seu e-mail pode ser usado para divulgação de vírus, phishing ou outras práticas similares.

Nesse caso, vale uma inspeção para qualquer programa do tipo, assim como, se possível, uma mudança de senha. Dependendo do caso, pode ser necessário criar outra conta de e-mail, dependendo do quanto foram mudados os dados de sua conta e/ou do servidor que ele se encontra.

III- Trojan: Se seu computador foi efetivamente invadido por um Trojan (também conhecido como Cavalo de Tróia), pode haver um hacker agindo diretamente nele. É válido então tomar precauções com programas, assim como uso de firewall e mudança de senhas.

2- “Recebi um vírus! Estou infectado(a)!”

Geralmente, este é um engano cometido por usuários que tiveram pouca informação a respeito de vírus e muito terrorismo psicológico. Se você recebeu um e-mail com vírus, não necessariamente seu computador foi infectado. Na maior parte das vezes, vírus de e-mail se baseiam em arquivos executáveis, ou links para download dos mesmos, então apenas a presença de um e-mail com vírus não é o suficiente para levar à infecção.

O básico aqui é, se você identificou um e-mail que potencialmente contém um vírus, basta deletá-lo. Se não quiser correr riscos, ou acidentalmente executou o anexo, use algum programa anti-vírus. Não sabe se executou um vírus? Geralmente a situação mais fácil de identificar é quando o que você tenta abrir simplesmente não funciona – o arquivo não abre e não há nenhuma identificação de erro ou algo similar.

Vale lembrar, muitas vezes o executável é disfarçado com outras terminações de arquivo, então tome cuidado de qualquer maneira.

3- “Mas ele(a) nunca me passaria um vírus!”

Não estamos duvidando da integridade de seus amigos ou familiares, mas é fato que, se você receber um e-mail estranho deles, por mais próximos que sejam, ele pode conter um vírus. Como visto acima, um vírus pode se auto-propagar usando e-mails configurados em computadores infectados, portanto nem pense duas vezes. Se sua mãe enviar um e-mail falando sobre “aquelas fotos” e vocês não tiraram nenhuma, certifique-se com ela antes de abrir qualquer coisa.

4- “A empresa ### está acompanhando este e-mail e…”

Um tipo de corrente que tem sido passada já a algum tempo promete prêmios ou benefícios para aqueles que repassarem um e-mail, com o pretexto de que o governo, ou uma empresa, ou algum indivíduo estaria “acompanhando a mensagem”.

Supostamente, nesses casos, certo número de repassagens garantiria o benefício para todos os envolvidos. Por mais improváveis ou impossíveis que sejam os casos (“A Sony irá distribuir celulares”, ou “A Dell irá presentear com laptops”, ou ainda “esta lei só será aprovada se…”), essas mensagens sempre acabam sendo divulgadas e repassadas.

Na prática, porém, é impossível que qualquer um acompanhe esse tipo de movimento de e-mails. Só para começo de conversa, esse tipo de movimentação utiliza uma série de diferentes servidores de e-mail, de diferentes donos. Uma mobilização do gênero seria impossível. Não apenas isso, mesmo que nos mantivéssemos em um servidor só, esse tipo de acompanhamento, caso fosse possível, seria contra a lei, configurando invasão de privacidade, e, dependendo da lei, até figuraria entre os “crimes digitais”.

5- “Ganhei um prêmio!”

E-mails de premiações, negócios, ofertas essencialíssimas e outros são um engano frequente. Antes de clicar, pergunte-se: você REALMENTE se inscreveu nesse concurso ou sorteio? Você conhece essa loja ou empresa? E ainda, você realmente acha que um homem de negócios ou parte da realeza de um país obscuro da Africa iria escolher você, aleatoriamente, dentre tantas pessoas, para dar U$1 milhão em troca de uma transferência bancária?

E-mails desse tipo são os principais propagadores de vírus e uma dos maiores facilitadores do phishing. Quando não há um arquivo que infecte ou ajude em uma invasão no seu computador, esse tipo de spam é usado para roubar senhas, dados pessoais e, em casos, até seu dinheiro. Use seu bom senso, e qualquer coisa vale a pena pesquisar um pouco mais antes de aceitar qualquer proposta milagrosa ou prêmio misterioso.

6- “Tive que mudar minha senha!”

Outro tipo de e-mail para roubar dados – os falsos e-mails de mudança de senha. Usados tanto para roubar senhas de bancos quanto serviços de internet e redes sociais, a fórmula é fácil: você recebe um e-mail falando sobre uma solicitação de senha que pediu, ou ainda é informado que houve algum erro e problema e uma mudança será necessária. Você preenche seus dados e sua conta é tomada. No caso do banco, é pior – seu dinheiro também está em jogo.

Novamente, a questão é de bom senso. Os bancos já cansaram de dizer – nenhum deles entra em contato por e-mail no caso de mudança de senha ou de mudança de cartão com números ou qualquer coisa parecida. No caso de redes sociais ou sites, certifique-se que você fez o pedido de mudança de senha – caso contrário, na maior parte dos casos não há por que haver um pedido de mudança.

Geralmente, esse tipo de e-mail é fácil de identificar. São 4 fatores:

I- Aparência: Geralmente, são simples demais, diferindo da formatação e arte dos e-mails oficiais.

II- Endereço de e-mail: Certifique-se que a conta realmente é do serviço citado. Por mais que disfarcem, nunca será (e não estamos falando do nome da assinatura!).

III- Links: Nenhum serviço oficialmente utilizaria um encurtador de endereço ou um servidor que não fosse o seu, então suspeite.

IV- Anexos e Downloads: No caso de uma mudança de senha, ela sempre será online, nunca num anexo em zip ou num arquivo que deve ser baixado.

Com o risco de soar como uma corrente de e-mail, se você aprendeu algo ou mesmo que já saiba tudo que está aqui, repasse essas dicas para os usuários menos experientes. Já temos enganos demais nos computadores para nos preocuparmos com e-mails.

Fonte: POP

0 comentários: